Guia De Raças Caninas

 

Os cães estão divididos em 7 grupos principais. Cães de caça, Hounds, Cães pastores, Terriers, Cães de companhia, Cães de utilidade, Cães de trabalho, com características e traços específicos.

 

Cães de Raça

Criados para auxiliar na caça. As raças de apontes são encarregadas de localizar a caça e os spaniels de levantá-la, de modo a facilitar o tiro do caçador. Os recolhedores fazem o que seu nome sugere. Como trabalharam tão próximos ao homem e com tanto sucesso, esses cães são especialmente obedientes e amigáveis. Costumam ser ativos, inteligentes, confiáveis e alguns são barulhentos. Adoram viver com uma família ativa e costumam se dar bem com crianças. O porte desses cães varia do robusto labrador ao pequeno cocker spaniel. A pelagem também varia muito, podendo ser, por exemplo, cacheada, como a do cão d’água frisado, lisa, como a do setter irlandês, ou curta, como a do pointer inglês.

 

Hounds

Um dos grupos mais antigos, os hounds foram criados para caçar e capturar animais selvagens. Algumas das raças não devem, portanto, conviver com animais de estimação pequenos, principalmente se eles chegarem depois à casa onde vive o hound. Embora esses animais ativos e inteligentes sejam normalmente sociáveis, não ficam infelizes quando não convivem com o dono. Como sua função exigia um alto grau de independência, muitas raças desse grupo gostam de ter autonomia e podem ser um tanto desobedientes. É um grupo muito diversificado, incluindo não só os esbeltos sighthounds, como o greyhound e o borzói, mas também os robustos cães que seguem pistas, como o basset hound e os dachshunds.

 

Cães Pastores

São cães criados para trabalhar perto das pessoas, geralmente pastoreando ou protegendo rebanhos, e costumam ser, portanto, cheios de energia e empenho e tendem a criar laços estreitos com os donos. Uma característica comum é a tendência a obedecer comandos, mas sem deixar de usar seu próprio julgamento. Obedientes e afetuosos, estão entre as raças mais fáceis de treinar. Cores, porte e pelagens são bem diversificados e as raças mais conhecidas são os collies, o welch corgi e o pastor alemão.

 

Terriers

O terrier foi a primeira raça criada para capturar e matar animais, com o fim de exterminar pragas, como ratos, ou apenas por esporte. Isso significa que os terriers são predadores e muito ativos e alguns gostam de cavar. Podem ser bons guardas. Intrometidos e exuberantes, esses cães podem ser agressivos com muitos outros animais de estimação, inclusive cães, e alguns são teimosos, mas por sua natureza expansiva e amigável tornam-se bem populares. O bull terrier é cheio de energia e o cesky terrier e o terrier escocês são mais pacatos.

 

Cães de Companhia

Criados para fazer companhia, continuam exercendo essa função. Sua tendência para trabalhar foi sendo desestimulada, por isso são plácidos e afetuosos. Contudo, a criação selecionada para criar animais pequenos resultou também em cães suscetíveis a problemas de saúde. Os cães deste grupo são ideais para quem nunca teve cachorro. Costumam ser cooperativos, com um temperamento estável e gostam de agradar. Porém, embora costumem ser pequenos, têm personalidade forte e muita vitalidade.

 

Cães de Utilidade

Foram desenvolvidos para desempenhar determinada função, mas vêm sendo criados como cães de companhia. De cães distintos e excentricos como o chow chow e o schnauzer, aos populares dálmatas e poodles, este grupo inclui os cães que não se encaixaram nos outros.

 

Cães de Trabalho

São ávidos por trabalho e precisam ser estimulados. Ao longo do tempo, sua coragem e sua constituição robusta foram usadas pelo homem de várias maneiras, inclusive para puxar carroças, fazer salvamentos ou como guarda. Costumam ser inteligentes, treináveis e resistentes. Tendem a ser muito leais, e são mais adequados para donos que não só tenham experi6encia com cães como disponham de força física e mental para lidar com eles. Algumas dessas raças não são indicadas para crianças. O grupo inclui cães enormes como o mastiff e o boiadeiro bernês e alguns menores como o bóxer, o dobermann e os pinschers. Corajosos e alertas, os cães de trabalho são sempre maravilhosos.

 

A Raça Certa Para Cada Dono

Para quem sofre de alergia
Bichon Frise
Chihuahua
Poodle
Terrier irlandêsPara crianças
Beagle
Boiadeiro bernês
Bóxer
Buldogue
Cesky terrie
Chesapeake bay retriever
Golden retriever
Labrador retriever

Para quem é mais sedentário
Buldogue francês
Cão de santo humberto
Chihuahua
Cavalier king charles spaniel
Pequeno spaniel continental
Pequinês
Pug
São-bernardo
Shih-Tzu
Spaniel Japonês
Yorkshire terrier

Cão de alarm e guarda
Airedale terrier
Boston terrier
Chihuahua
Fox terrier
Pastor alemão
Pinscher
Poodle anão
Poodle médio
Rottweiler
Schnauzer miniatura
Shih-Tzu
Silky terrier australiano
Teckel
Terrier escocês
West highlander white terrier
Yorkshire terrier

Para quem nunca teve cão
Affenpinscher
Beagle
Bichon havanês
Bolonhês
Boiadeiro bernês
Cavalier king charles spaniel
Cesky terrier
Cocker spaniel americano
Collie
Golden retriever
Labrador
Pequinês
Pug
Silky terrier australiano
Welsh springer spaniel
WhippetPelagem de fácil manutenção
Basset hound
Beagle
Boston terrier
Bóxer
Buldogue
Bull terrier
Foxhound
Labrador
Mastiff
Pointer ingles
Pug
Rottweiler
Weimaraner
Welsh corgi

Para quem quer um cão longevo
Australian cattle dog
Border terrier
Bullmastiff
Chihuahua
Dachshund anão
Dálmata
Dobermann
Jack Russell terrier
Poodle médio
Poodle toy

Para quem quer se exercitar muito
Afghan hound
Airedale terrier
Bearded collie
Border collie
Bóxer
Chesapeake bay retriever
Golden retriever
Greyhound
Husky siberiano
Labrador
Malamute do alasca
Otterhound
Pastor belga
Pointer inglês
Rottweiler
Setter Gordon
Setter irlândes vermelho e branco
Springer spaniel inglês
Staffordshire bull terrier
Yorkshire terrier

Guia De Raças Felinas

O conceito de raça felina teve início em meados do séc. XIX, com as primeiras exposições de gatos. Hoje são reconhecidas oficialmente mais de 100 variedades de Felis Silvestris Catus no mundo. Algumas raças são naturais, autóctones de um dado país. Outras passaram por cruzamentos seletivos visando perpetuar determinadas características. A maioria dos gatos de estimação se reproduz ao acaso, isto é, os casais se escolhem sem intervenção humana. Já os gatos de pedigree foram selecionados pelos humanos em função do formato do corpo, especialmente do rosto, da cor da pelagem e de outras qualidades que melhor representam a raça.

Gatos Pelo Curto

Os gatos mais antigos eram de porte médio, esbeltos e de pelo fino, semelhantes ao gato selvagem africano dom qual descendiam. O pelo curto era prático em regiões de clima temperado, e as raças de pelo curto continuam sendo as mais numerosas. A densidade dom pelo curto varia demais, de espesso a abundante a totalmente pelado.

Gatos Pelo Longo

Os gatos de pelo longo não são comuns na natureza pois são geneticamente recessivos. Porém, uma única mutação genética determina o pelo longo, o que tornou relativamente fácil perpetuar seletivamente essa característica cruzando pelo longo com pelo longo, inclusive nas gerações seguintes.

O que significa quando o gato te lambe?

Quando o gato lambe o seu dono, ele o trata como um outro gato e, com cada tipo de lambida, passa uma mensagem diferente.

As vezes, o gato lambe o seu dono como uma mãe gato lambe os seus filhotes, demonstrando cuidado e afeto.  Outras vezes, ele o lambe da mesma forma que ele lambe outros gatos para marcar território.  E, dependendo do cenário, ele lambe até para mostrar que o dono é um grande amigo.

Analisando como e quando o gato lambe seu dono, é possível determinar o que ele está querendo comunicar.
Gatos lambem os seus donos para construir e fortalecer laços sociais

Desde pequenos, os gatos são acostumados com lambidas, já que, ainda filhotes, são lambidos todos os dias pelas mães. Com isso, eles começam a explorar o mundo através da sua língua, e a higiene das lambidas é interpretada por eles como um sinal de carinho e proteção.

Ao lamber o dono, o felino envia sinais de que está aceitando a relação e que o dono pode interagir socialmente com ele, assim como eles também fazem com outros animais.

As vezes, o gostinho do dono é tão bom que o gato não consegue resistir

Gatos gostam de comidas salgadas e são atraídos pelo suor do dono. É costume, por exemplo, muitos gatos lamberem seus donos após estes voltarem da academia ou de uma corrida no parque.

Além do suor, loções hidrantes e sabonetes também atraem lambidas desses felinos.   Isso pode explicar por que vários gatos lambem os seus donos assim que os donos saem do banho.
Em alguns casos, lamber o dono significa dizer, “você é meu”

Marcar território com o xixi não é o único jeito de o gato mostrar o que pertence a ele; muitos fazem isso com lambidas, já que a saliva do gato possui partículas de odor.

Em vários casos, esse tipo de comportamento é aprendido com a mãe, que lambe os filhotes toda vez que ela os vê, de forma deixar o seu cheiro neles.

É possível que esse comportamento se torne compulsivo, principalmente em casos em que o gato se recusa parar e não se distrai com outras coisas.  Nos casos em que o gato adquire o comportamento de lamber os seus donos excessivamente, ele pode estar sinalizando alguma mudança em sua saúde.  Por esse motivo, é importante encaminhá-lo a um veterinário.
Quando o gato te lambe e pede carinho, ele está gritando “eu te amo”

Na maioria das vezes, o gato lambe seus donos para demonstrar o quão protegido e confortável ele se sente com sua presença.

Nesse caso, ele conecta o banho de língua no dono com os banhos de proteção que ganhava de sua mãe quando filhote, já que manter a higiene por lambidas é a maior demonstração de carinho dos felinos.

Gatos que lambem seus donos e outros objetos da casa podem estar demonstrando estresse

Em casos extremos de ansiedade, os gatos lambem seus donos para confortar-se do estresse que sentem. Eles também podem lamber, com frequência tecidos e plásticos.

Nesses casos, eles lambem os donos não para demonstrar afeto, mas sim para se acalmarem.  Gatos que foram tirados da mãe muito cedo tendem a lamber e chupar os dedos dos seus donos quando filhotes para se acalmarem.  Em diversos casos, esse comportamento continua quando o gato é adulto.
Como fazer o gato parar de lamber as pessoas

Se as lambidas se tornarem muito intensas e fugirem do controle, talvez seja o momento de distrair o gato e ensiná-lo a não lamber.

Procure redirecionar a atenção do gato para alguns brinquedos, quando ele for te lamber. Brinquedos com catnip  costumam ajudar nesse processo.  Quando o gato brincar, ofereça petiscos ou carinho a ele.  Porém, quando ele te lamber, simplesmente o ignore.  Logo, ele buscará outras formas de te pedir e demonstrar carinho.

Treinar um gato que está acostumado a lamber a parar esse comportamento não é uma tarefa fácil, mas, com paciência, é possível. Nunca bata no animal ou empurre-o quando ele te lamber, pois, além de não ajudar a parar as lambidas, ainda pode estressar o animal.

 

Fonte: http://entretenimento.surgiu.com.br/noticia/146022/o-que-significa-quando-o-gato-te-lambe.html?utm_source=informe&utm_medium=email&utm_term=pet%20food%2C%20pet%20care%2C%20pet%20vet%2C%20pet&utm_content=Informe%20Semanal%20-%2008%2F04&utm_campaign=Informe%20Semanal%20-%2008%2F04

Dicas de primeiros socorros para cachorros

Labradores, poodles, pit-bulls, vira-latas. Não importa a raça: cachorros são brincalhões, alegres e curiosos. Muitas vezes, por causa disso, acabam se machucando. Sem querer, confundem veneno com comida, engasgam com algum brinquedinho e se queimam dentro da cozinha de casa. Quando acidentes acontecem, eles não falam o que estão sentindo e, muitas vezes, fica difícil saber como socorrê-los. Em alguns casos, antes de correr para o veterinário, há procedimentos de pronto atendimento que você pode fazer em casa para ajudar o seu cãozinho.

Para ouvir as orientações de quem socorre cachorros todos os dias, ÉPOCA foi até o Clube dos Vira-latas, em Ribeirão Pires, na Grande São Paulo. A veterinária Marina Passadore, que cuida diariamente dos mais de 500 cães abrigados pela ONG, dá dicas de como proceder em casos de envenenamento, cortes, fraturas, sufocamentos, queimaduras, convulsões e choques. Os procedimentos podem ser feitos tanto em cães domésticos como em algum cachorrinho de rua, que estiver machucado.

siga o link abaixo para maiores informações.

http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2012/07/dicas-de-primeiros-socorros-para-cachorros.html

Fonte: site Revista Época/NATHALIA TAVOLIERI, COM GUSTAVO CAMPOY , PEDRO SCHMIDT E RENATO TANIGAWA (VÍDEO)

 

http://www.premiatta.com/painel-pmtt/alterar_dicasemana.asp?id=159